Skip to main content
atividade física

Nunca mais perca tempo com atividade física chata

O que você acha de economizar tempo e sofrimento conhecendo o verdadeiro papel da atividade física na sua jornada do emagrecimento?

 

Se você continua praticando a velha orientação pra comer menos e praticar mais atividade física e perdeu as contas de quantas vezes desistiu de ficar com fome e não sabe como encontrar tanto tempo pra academia (assim como 95% dos outros seres humanos normais) esse artigo é pra você!

 

Eis algumas das orientações que ouvimos diariamente sobre como emagrecer:

  • Para emagrecer, devo criar um déficit calórico comendo menos e fazendo mais exercícios aeróbicos.
  • Quanto mais tempo eu puder gastar na academia, mais vou emagrecer.
  • Musculação vai me fazer ficar forte e não ajuda a emagrecer.

 

Mitos! Mitos! Mitos!

 

Assim como na alimentação, os mitos em relação aos exercícios físicos ainda são muitos.

 

A grande maioria das pessoas acredita que exercícios aeróbicos são indispensáveis para emagrecer e tem gente que até faz aquelas aulas de tortura, mentira, de spinning! Sua e sofre até não querer mais e os resultados pouco aparecem.

 

Sério, não é a toa que a maioria das pessoas detesta fazer atividade física.

 

Ninguém tem tanto tempo e paciência pra perder com algo que é um verdadeiro sacrifício e que parece demorar uma eternidade para trazer resultados significativos nas medidas.

 

Continue lendo para descobrir porque nesse artigo nós vamos descobrir juntas se a atividade física é mesmo fundamental para emagrecer.

 

Atividade física x alimentação saudável!

 

alimentação saudável

 

O que acontece, na realidade, é que nosso corpo funciona de uma forma muito mais complexa e não se parece em nada com uma máquina de calcular calorias.

 

Atividade física

 

Olha só como o Dr. Souto explica, de forma bem simples, o mito sobre os exercícios físicos:  

Poucas coisas dão tanta fome quanto o exercício. E é natural que seja assim. Afinal, quando perdemos água ficamos com sede, porque não ficaríamos com fome quando “perdemos” calorias? No entanto, a sabedoria convencional é a de que precisamos criar um déficit calórico, ou seja, não apenas deveríamos fazer mais exercício, mas ao mesmo tempo comer menos. Pense um pouco: qual a chance de isso dar certo? Qual a chance, no longo prazo, de que alguém com fome vá ter energia para se exercitar, ou de que alguém que se exercite consiga comer pouco, continuamente, por anos? Você já ouviu falar em homeostase??? O nosso corpo buscará o equilíbrio com mais fome ou mais preguiça.

 

Na prática, a maior responsável pelo emagrecimento é mesmo a alimentação e isto ficou muito claro em pesquisas do geneticista Claude Bouchard que confirmam o baixo desempenho dos exercícios no emagrecimento.

 

Alimentação saudável

 

Em relação à alimentação, a estratégia correta está muito longe de ser uma questão de diminuir a quantidade ou de consumir menos calorias (e sentir fome o tempo todo): o mais importante é a qualidade do alimento que ingerimos.

 

Nosso corpo reage de forma muito distinta quando consumimos 1.500 calorias em brigadeiro ou 1.500 calorias em carnes, verduras e legumes.

 

Se você quiser aprender mais sobre como emagrecemos de acordo com nossas escolhas alimentares, leia esse post.

 

O verdadeiro motivo pelo qual você deveria fazer atividade física para emagrecer.

 

atividade física

 

Afinal, por que a atividade física deve ser inserida na jornada de quem está buscando emagrecimento? Quais são os reais benefícios dos exercícios físicos?

 

O primeiro benefício é que, a prática de exercícios físicos, aumenta a produção de hormônios do bem-estar como a dopamina e a serotonina.

 

As consequências disso são mais energia, disposição e bom humor. E quem nunca sentiu aquela enorme satisfação como recompensa por saber que está cuidando do seu corpo e da sua saúde, não sabe o que está perdendo.

 

E eu acredito que você perceba, claramente, a diferença entre os dias em que estamos cansadas, ansiosas ou tendo qualquer outro sentimento negativo e os dias em que tudo está tranquilo, estamos nos sentindo mais felizes e de bem com a vida.

 

É muito mais fácil nos engajarmos em uma alimentação saudável quando estamos bem do que quando estamos de mal com o mundo e não sou eu que estou dizendo!

 

Existem pesquisas que comprovam a relação entre os sentimentos ruins geradores de estresse e o alto consumo de alimentos açucarados ou de baixa qualidade.

 

A surpreendente verdade sobre atividade física e depressão.

 

Entre algumas pesquisas feitas pelo Professor em Psiquiatria e Ciências Comportamentais Michael Babyak, uma delas separou 156 pessoas em 3 grupos:

  1. Os que praticaram apenas atividade física.
  2. Os que tomaram medicação e praticaram atividade física.
  3. Os que só tomaram medicação.

 

Os pesquisadores chegaram às seguintes conclusões:

 

Os participantes dos 3 grupos tiveram remissão da depressão na mesma proporção.

 

O grupo de pessoas que utilizaram medicamento, responderam mais rapidamente no início do tratamento do que o grupo que praticou apenas exercícios, que começaram a colher os benefícios após o primeiro mês.

 

Porém, após 10 meses, o grupo de pessoas que apenas se exercitaram, não só haviam saído do estado depressivo, como a taxa de recaída era de apenas 9% contra 38% das pessoas que foram tratadas apenas com medicação e 31% das pessoas tratadas com medicação e exercícios físicos.

 

Não é incrível?

 

 

Qual é a atividade física mais adequada para o emagrecimento?

HIIT

 

Com base em tudo o que foi dito e em pesquisas da Psicologia Positiva, o que eu recomendo com o mais puro carinho e convicção para as minhas coachees é que escolham o exercício físico que elas mais gostam de fazer!

 

Exercício bom para emagrecer é aquele que a gente tem prazer em praticar e por isso, conseguimos criar o hábito e nos manter ativas a longo prazo.

 

Ah, existe uma infinidade de formas muito prazerosas de se exercitar:

  • Sapateado
  • Natação
  • Volei
  • Caminhada
  • Dança de salão
  • Kung Fu
  • Tênis
  • Aulas de circo
  • Patinação
  • Pole Dance
  • Ioga

 

Porém, não posso deixar de falar sobre duas modalidades que, por um motivo especial, trazem benefícios adicionais  ao processo de emagrecimento: a musculação e o HIIT.

 

A musculação é a minha escolha pessoal, entenda o por quê:

 

Conforme vamos envelhecendo, a tendência natural é a de perda de massa muscular, mesmo com alimentação adequada.

 

Essa perda de massa magra resulta em uma queda da taxa metabólica basal, o que popularmente é chamado de “metabolismo lento”.

 

É preciso manter o equilíbrio entre os sistemas catabólico, causador da perda de musculatura e desgaste do organismo e o anabólico, responsável pelo crescimento, regeneração e manutenção dos diversos tecidos e órgãos presentes no organismo, como o tecido muscular.

 

Então, de forma bem simples, praticar musculação favorece o emagrecimento pois gastamos mais energia na construção de músculos e uma boa musculatura é sinônimo de um metabolismo mais ágil.

 

Por isso, ao contrário do que costumamos imaginar, é preciso escolher alimentos de qualidade e comer bem para que nosso organismo possa construir e manter nossos músculos de forma adequada.

 

Quando comemos menos para emagrecer e não nos exercitamos adequadamente, perdemos massa muscular (e ficamos murchinhas, saca?). Isso significa metabolismo em modo de economia de energia e desgaste.

 

E você deve estar pensando, putz, uma hora e meia sofrendo na musculação 4 ou 5 vezes por semana, vai ser osso.

 

Pois é, só que não! Os educadores físicos mais atualizados prescrevem treinos de 20 a 30 minutos de 2 a 3 vezes por semana. Você pode alternar com aquela aula de dança ou o exercício físico que você adora praticar.

 

HIIT, o hit que veio pra ficar!

 

O significado da sigla HIIT quer dizer High Intensity Interval Training, ou seja, Treinamento Intervalado de Alta Intensidade.

 

O HIIT nada mais é do que um treino aeróbico de alta intensidade feito entre intervalos pequenos de descanso como por exemplo, correr na sua máxima capacidade por alguns minutinhos e descansar para então correr novamente na sua máxima capacidade por outros minutinhos e assim, por diante.

 

Ao contrário do que está sendo amplamente falado, ainda não está comprovado cientificamente que o HIIT seja mais eficaz em termos de queima de gordura do que o exercício aeróbico contínuo.

 

Maaaas o HIIT tem 3 vantagens muuuito interessantes em comparação ao aeróbico tradicional:

 

  1. O tempo gasto no aeróbico contínuo para que tenhamos um resultado de 2 a 3kg a menos na balança ou 3 cm a menos na cinturinha é muito maior do que o tempo gasto para se obter os mesmos resultados com o HIIT. Os treinos de HIIT podem demorar apenas alguns poucos minutos.
  2. O grau de exigência física do HIIT é maior, por isso, é possível que, após algum tempo de treino, haja um ganho de massa muscular e assim, o HIIT favoreceria o aumento da taxa metabólica basal. Opa, mais uma forcinha pra dar adeus à pochete!
  3. O treino de HIIT pode ser muito mais estimulante do que o enfadonho treino na esteira ou na bicicleta, pode ser feito em qualquer lugar, a qualquer momento, desde que você esteja sendo orientada por um profissional de educação física.

 

Conclusão

 

Quero muito que você entenda e se sinta livre, leve e solta para escolher se exercitar da forma que for mais interessante e mais prazerosa pra você. Isso é o mais importante!

 

Como eu já disse, não adianta nada se forçar a fazer o que não gosta porque, minha amada, a longo prazo isso simplesmente não funciona! Você não consegue criar o hábito de se exercitar e acaba com o corpitcho no sofá assistindo série no Netflix.

 

E, por fim, colocando tudo na balança, caso você já tenha uma boa consciência corporal e escolha o HIIT como seu queridinho, é possível começar a treinar agora mesmo, clicando aqui.

 

Espero que você tenha aproveitado ao máximo esse conteúdo e, se tiver alguma dúvida, deixe seu comentário que eu terei o maior prazer em conversar mais com você!

 

 

Um beijo enorme no coração,

 

Valéria Neill